O Sorriso da Manu

O Sorriso da Manu

Utilizando a sonoridade de uma pequena orquestra, Toninho Ferragutti apresenta seu novo álbum, “O Sorriso da Manu”.

A gênese do álbum são composições feitas para o espetáculo “Grupo Luceros dança Toninho Ferragutti” sob a direção artística de Clarisse Abujamra, onde os bailarinos se apresentam ao som de um quarteto formado por acordeon, percussão, clarinete e contrabaixo acústico. Com o tempo as composições foram criando vida própia e sendo apresentadas em versão instrumental em shows paralelamente ao espetáculo de dança e entusiasmado com o resultado, Ferragutti decidiu então registrar as composições em disco. Ao grupo já montado, com Alexandre Ribeiro(Clarinete), Beto Angerosa(Percussão), Zé Alexandre Carvalho (Baixo Acústico), Toninho somou o piano de Paulo Braga e o quarteto de cordas formado por Ricardo Takahashi, Liliana Chiriac (violinos), Adriana Schincariol (viola) e Raiff Dantas Barreto (violoncelo) formando uma pequena orquestra que funde várias linguagens.

Ao álbum se somaram as musicas Paçoquinha, para Oivia, a filha mais velha, Trilha feita a Lápis, Trilha feita a mão e Chôro da Madrugada, que são músicas com historias diferentes.

Outro destaque do novo álbum é a maneira como foi registrado. “Geralmente, quando trabalhamos em estúdio, o clima é frio, cada músico chega numa hora diferente e grava sua parte separado. Minha intenção foi deixar o clima quente”, diz Ferragutti. Ele conseguiu o que queria gravando tudo ao vivo, com todos os músicos tocando juntos, no palco do Teatro Fecap, em São Paulo. Como se fosse um concerto, mas sem a presença de plateia. “Aproveitamos a acústica daquele teatro, que foi construído para produzir justamente esse tipo de som que eu aprecio”.

Nas mãos de Ferragutti, o acordeom brasileiro ganhou nova projeção nos últimos anos. Sua elogiada discografia individual somada às centenas de participações em gravações de outros artistas, demonstram a riqueza sonora de um instrumento repleto de possibilidades.

A tarefa de adaptar as músicas para essa formação foi dividida entre os arranjadores Edson José Alves, Rodrigo Morte, Neymar Dias, Alexandre Mihanovitch e Adail Fernandes.

Produzido com recursos do Programa de Ação Cultural do Estado de São Paulo (Proac), o disco foi gravado no palco do Teatro Fecap, em apenas três sessões de seis horas – o que evidencia o entrosamento dos músicos. “O plano foi esse desde o início: todo mundo tocando junto e ao vivo, sem público mas com a acústica do teatro”, comemora Ferragutti, que batizou o álbum com o nome de uma música que compôs em homenagem à sua filha.

Músicos

Toninho Ferragutti – Acordeon
Ricardo Tahakashi – Violino
Liliana Chiriac – Violino
Eduardo Bello – Violoncello
Adriana Schincariol Vercelino – Viola
Zé Alexandre Carvalho – Baixo Acústico
Paulo Braga – Piano
Alexandre Ribeiro – Clarinete
Beto Angerosa – Percussão

Repertório

O Sorriso da Manu
Trilha feita à lápis
Nova
Trilha feita à mão
Circuleta
Flamenta
Paçoquinha
Choro da madrugada
Balanguinha

(Todas as músicas são de autoria de Toninho Ferragutti)